FANDOM


Os Nômades do Ar são uma civilização pacífica de monges e monjas Dobradores de Ar. Para eles, toda a vida, não importa qual ela seja, é sagrada.

Seu território possui cadeias montanhosas, onde se encontram seus templos, sendo que três dessas cadeias estão em ilhas: ao norte do Polo Sul, ao sudeste do Reino da Terra e a noroeste da Nação do Fogo, e a outra está ao extremo norte do Reino da Terra. Eles não dispõem de um líder nem de um exército. No máximo, há monges mais velhos que impunham um maior respeito devido a sua idade avançada e seus vastos conhecimentos. Depois do ataque da Nação do Fogo, os Nômades do Ar foram extintos sobrando apenas Aang, pois todos os outros foram mortos.

As cores amarela e laranja predominam nas roupas dos Nômades do Ar, que são uma espécie de túnica comprida. Eles também levam setas azuis. Seus novos trajes são embutidos como se fossem um planador que fazem eles voarem.

Quando Roku, o Avatar anterior a Aang, morreu durante a erupção do vulcão da ilha onde morava, o Senhor do Fogo Sozin, sabendo que o próximo Avatar nasceria entre os Nômades do Ar, atacou severamente os quatro templos do Ar. Sua intenção era a morte do novo mestre dos quatro elementos junto com os outros nômades. No entanto, o Avatar Aang sobreviveu aos ataques, pois fugiu do templo em que morava antes dos ataques começarem. Na fuga acabou congelando-se acidentalmente em um iceberg perto da Tribo da Água do Sul, quando, quase se afogando, entrou no Estado Avatar. Cem anos depois acabou sendo achado por Katara e Sokka, membros da Tribo da Água do Sul que acabaram virando seus melhores amigos. Até que cerca de 70 anos depois na Convergência Harmônica a Avatar Korra mantém os Portais Espirituais abertos o que transforma algumas pessoas do Reino da Terra em dominadores de ar. Na quarta temporada de The Legend of Korra eles vivem como heróis salvando pessoas no mundo enquanto a avatar Korra se recupera de sua batalha.

Costumes, características e poderes Editar

A capacidade de dominar o elemento "ar" é uma das principais características dos membros dessa nação.

As árvores de folhas caducifólias são um símbolo do outono, estação em que os dobradores de ar são mais fortes.

Os jovens são criados pelos monges mais velhos: eles os ensinam a viver em paz com tudo e com todos, a respeitar o próximo independentemente de quem ele for e a se desfazer de possesões mundanas. Por causa disso, os Nômades do Ar são geralmente pacíficos e prestativos e tentam de qualquer maneira evitar conflitos. Já que para eles toda a forma de vida é sagrada, os Nômades do Ar se recusam a comer carne, sendo vegetarianos.

Apesar de paracerem sérios, alguns monges e monjas desenvolvem um grande senso de humor por viverem em paz com tudo e com todos.

HistóriaEditar

Era de RaavaEditar

Na era de Raava, os antepassados ​​dos Nômades do Ar receberam o elemento ar de sua Tartaruga Leão que concedeu a arte de dobra através da dominação de energia. Eles poderiam solicitar a habilidade sempre que se aventuraram na Selva Espiritual, para auxiliar na reunião de alimentos e recursos. Ao contrário das pessoas de outras cidades das tartarugas leão, os primeiros habitantes coexistiram harmoniosamente com os espíritos e demonstraram grande respeito e compreensão de assuntos espirituais. Essas pessoas eventualmente se tornaram os primeiros Nômades do Ar depois que as tartarugas leão renunciaram a seus papéis como protetores da humanidade em 9.829 AG. Neste ponto, os antepassados ​​dos primeiros Nômades do Ar deixaram as cidades tartaruga leão em favor do estabelecimento de templos em todos os quatro cantos do globo.

ExtinçãoEditar

Artigo principal: Genocídio dos Nômades do Ar

Doze anos após a morte de Avatar Roku, o Senhor do Fogo Sozin usou um cometa, mais tarde chamado Cometa de Sozin, para aprimorar as habilidades de Dobra de Fogo de seus exércitos para eliminar os Nômades do Ar, a próxima nação no Ciclo de Avatar para atingir seu objetivo de dominação mundial. Os altos monges previam uma guerra e o Conselho dos Anciãos do Templo do Ar do Sul decidiu revelar a Aang sua identidade como o Avatar prematuramente aos doze anos, em oposição ao padrão dezesseis. Seu treinamento de Dobra de Ar foi subseqüentemente intensificado apesar de já ter obtido suas tatuagens de maestria. A revelação fez com que Aang sentia que sua infância foi tirada dele e todos de repente o trataram de maneira diferente. Quando os monges tentaram separar Aang de seu mestre e figura do pai, Gyatso, para completar seu treinamento de Dobra de Ar no Templo do Ar Oriental, Aang, depois de ter ouvido a conversa, fugiu para o bisão, Appa. Eles acidentalmente foram apanhados em uma tempestade e caíram no mar. Ao afundar, Aang entrou inconscientemente no Estado Avatar, congelando-se e Appa em uma esfera de gelo, o que o manteve vivo no próximo século. Enquanto isso, o Nação do Fogo conseguiu destruir os Nômades do Ar, embora não conseguiu encontrar o Avatar. Os Acólitos do Ar

Um ano depois da guerra, Avatar Aang descobriu um grupo de cidadãos do Reino da Terra que construiu um fã-clube em sua homenagem; Ele eventualmente os transformou em Acólitos do Ar, uma comunidade de freiras e monges dedicadas a defender a cultura dos Nômades. Anos mais tarde, o casamento de Aang com Katara abençoou-o com um filho dominador, Tenzin, que foi amplamente ensinado por Aang na cultura e dobra dos Nômades do Ar. A população dos Acólitos do Ar cresceu, levando a Aang a liderar a restauração dos templos do ar para servir como suas novas casas. Aang construiu um quinto templo do ar na recém-criada quinta-nação, a República Unida das Nações, chamada Templo de Ar da Ilha. Tenzin, que se tornou o representante da Nação do Ar no Conselho da República Unida, veio residir na ilha com sua esposa, Pema, e seus quatro filhos, três dos quais são conhecidamente dominadores.

Renascimento de uma naçãoEditar

Em 171 DG, a mudança de energia da Convergência Harmônica causou que vários não dobradores obtivessem habilidades de Dobra de Ar, levando Tenzin e Avatar Korra a recrutar voluntários para serem treinados nas formas dos Nômades do Ar. Isso foi comprovado como uma tarefa assustadora, já que a maioria de suas novas perspectivas rejeitaram a idéia de deixar seus pertences e bens mundiais. No entanto, eles descobriram um grupo de dominadores de ar capturados pela Rainha da Terra, Hou-Ting, que estava recrutando dobradores de ar em um exército. Os novos dominadores foram resgatados e optaram por aprimorar seus novos poderes sob a tutela de Tenzin no Templo de Ar do Norte. Tenzin e os voluntários tiveram dificuldade em se encontrar, devido às expectativas de Tenzin de serem um completo reflexo dos antigos Nômades do Ar. Eventualmente, ambas as partes fizeram reparações e retomaram o treinamento.

Após a insurreição do Lótus vermelho, a nova Nação do Ar voltou às suas raízes nômades, mas, ao contrário da natureza reclusa de seus predecessores, eles se dedicaram a trazer paz e equilíbrio ao mundo. Por 174 DG, a população do país cresceu, à medida que mais novos dominadores de ar passaram a treinar na arte na Ilha do Templo do Ar. A Nação do Ar juntou-se à luta contra Kuvira quando invadiu a República Unida das Nações e destruiu a Cidade República.

AparênciaEditar

Antes da era do Avatar, os predecessores dos Nômades do Ar simbolizavam sua crença, praticando as mesmas tradições, como a tatuagem de seus corpos, embora com um design diferente. As tatuagens eram de forma mais poligonal com um ponto. A roupa que os homens usavam era pano alaranjado como um topo e amarelo como um fundo. As mulheres vestiram roupas diferentes; No entanto, incluia as mesmas cores tradicionais.

Os Nômades do Ar usam roupas amarelas, laranja e marrom. Aang e outros jovens dobradores de ar usavam xales laranjas sobre camisas amarelas de manga comprida, faixa de laranja, calças de camadas duplas com marrom embaixo e uma camada amarela solta em cima e botas altas que chegam logo abaixo dos joelhos. Monges mais velhas usavam longas vestes em tons de amarelo e laranja, bem como colares de madeira com as insígnias dos Nômades do Ar esculpidas. A maioria dos Nômades do Ar tem olhos cinza ou castanhos e uma aparência clara.

Por 174 DG, os novos dominadores de ar da Nação do Ar restaurada usam wingsuits, que são coloridos principalmente vermelho, embora tenham acentos amarelos e cinza.

Jovens a serem treinados como monges têm cabeças raspadas, enquanto os anciãos monge crescem barbas e bigodes; Eles tinham o cabelo facial mais longo e proeminente de qualquer nação. As mulheres dominadoras de ar não se ficam carecas completamente, apenas as frentes, para que a flecha seja visível. Raspar a cabeça é voluntário, embora tenha sido encorajado para sentir o ar ao seu redor. Os pesos de ar que atingiram um nível de domínio na arte são marcados com tatuagens de seta, com base nas flechas do bisão do céu, os primeiros dominadores de ar. Uma tatuagem de flecha primária é colocada em sua cabeça raspada que se estende por suas costas, juntamente com outras quatro, uma em cada membro que termina em uma ponta de flecha nas mãos e nos pés. A ponta inferior do triângulo na testa termina apenas entre as sobrancelhas, enquanto as flechas nas mãos apontam para o dedo do meio.

As setas marcam os caminhos através dos quais o chi viaja pelo corpo. Por isso, quando um Avatar do Nômade do Ar tatuado dessa forma entra no Estado Avatar, essas tatuagens são conhecidas por brilhar, junto com os olhos e a boca do Avatar. Se o corpo recebeu uma lesão mais profunda do que a tatuagem, esse ponto deixará de brilhar no estado Avatar.

GeografiaEditar

Na era anterior ao Avatar, os precursores dos Nômades do Ar viviam em cima das tartarugas-leão, [1] mas com a ascensão do Avatar, eles deixaram a segurança das cidades de tartarugas-leão e vieram morar em grandes templos em montanhas remotas. . Havia quatro templos ao todo, um para cada direção na bússola; dois para homens e dois para mulheres. Os rapazes do Templo do Ar do Sul eram conhecidos por viajarem ao Templo do Ar do Leste a fim de escolher seu próprio bisão-do-céu. Essa foi considerada uma escolha importante, pois os animais inteligentes ficariam com a escolha dos dobradores de ar para o resto de suas vidas. [2] Cultura Enquanto outras nações possuem realeza e são administradas por monarquias hereditárias, os Nômades do Ar eram liderados pelos monges e freiras mais velhos dos templos do ar. [3] Devido aos ensinamentos pacíficos de seus líderes, a natureza do povo era calma e tranquila. Eles também acreditavam na igualdade para todos, que as pessoas deveriam viver sem divisões na sociedade. [4] Nesse espírito, as relações entre pessoas do mesmo sexo eram completamente aceitas na cultura Nômade, já que seu modo de vida geralmente pacífico e de mente aberta os leva a abraçar todas as formas de amor consentido. Por causa disso, os Nômades do Ar não precisavam "esconder" sobre suas orientações sexuais. [5]

Os Nômades do Ar eram a única nação composta inteiramente de dobradores, devido à natureza altamente espiritual de suas vidas. [6] A meditação era uma parte importante das rotinas diárias dos dobradores de ar, pois os ajudava a concentrar suas energias e entender a potência de seu elemento. Apesar de sua alta espiritualidade, os monges acreditavam que a esperança era apenas uma distração. [7]

Foi mencionado que eles tinham um bom senso de humor, algo demonstrado quando Monge Gyatso empregou um método de ensino único quando ensinou Aang com suas habilidades de dobrar o ar, precisamente soprando tortas de frutas nas cabeças de outros monges como brincadeira. Esta atividade foi um treinamento útil e um divertido jogo. [8]

Os Nômades do Ar também reverenciavam certos eventos e feriados, como o Festival de Yangchen, que celebrava a vitória do Avatar sobre um espírito sombrio. O feriado foi marcado como um dos mais altos do calendário daquele povo e, de acordo com Aang, também foi uma das mais engraçadas celebrações de sua cultura. [9]

As tatuagens em formato de seta que adornam o corpo de um nômade do ar significam que ele ou ela dominou a dobra de ar. Esta é uma emulação das flechas naturais nas cabeças dos bisontes voadores, que podem naturalmente dobrar o ar e são os professores originais da arte, muito parecido com as toupeiras-texugo para os Dobradores de Terra. Dobradores de ar aspirantes não têm tatuagens [3] e para receber as tatuagens, bem como o título de um mestre, um dobrador de ar deve passar os trinta e seis níveis de dobra de ar ou projetar uma nova técnica. Na verdade, Aang tinha atingido apenas o trigésimo quinto nível antes de deixar o Templo do Ar do Sul, mas sua invenção da scooter lhe rendeu prematuramente as tatuagens, fazendo dele o mais jovem mestre de ar da história até que sua neta, Jinora, ganhou suas tatuagens aos onze anos. O filho de Aang, Tenzin, mais tarde se tornou o primeiro a dominar a arte de dobrar após o genocídio. Depois de receber suas tatuagens, o dobrador de ar é ungido como mestre durante uma cerimônia especial. [10]

Os Nômades do Ar também pregaram contra o conceito de vingança, vendo-o como sendo semelhante a uma víbora de rato de duas cabeças: ao destruir o seu inimigo, você se envenena. [11]

Um século depois, a nova Nação do Ar, um juramento de não-agressão era feito por cada novo dobrador de ar, pelo qual eles juravam adotar os meios mais pacíficos e usar a agressão apenas como último recurso.[12]

Estação do anoEditar

Cada nação das quatro nações é influenciada por sua própria época do ano distinta e dominante, na qual sua Dobra está no auge. O outono é a estação dominante para os Nômades. Dobradores do Ar são, portanto, mais fortes nesta temporada. Mais crianças nômades do ar nasceram durante o outono do que qualquer outra estação do ano, todas retendo habilidades de Dobra. [13]

Recursos naturais e alimentosEditar

O ar é a principal fonte de energia e recurso natural dos Nômades do Ar e, como está em toda parte, é quase impossível privá-los de sua fonte de energia. Com o poder do ar canalizado sob seu controle, eles não precisavam de máquinas industriais movidas a combustão; Quaisquer que fossem os ofícios ou trabalho em que eles se envolvessem, era bastante não poluente. Os dobradores de ar poderiam defender e proteger suas casas e modo de vida com sua Dobra. Além disso, esses nômades também podiam andar em seus bisões voaores e deslizarem ao ar livre, tanto para lazer quanto para viagem. Como os Nômades do Ar acreditavam que toda a vida era preciosa, eles eram vegetarianos pacíficos. [14] Eles não pareciam se importar, no entanto, de comer ovos e produtos lácteos, pois Aang estava disposto a comer uma torta de creme de ovos. [15] Eles também eram conhecidos por fazer pratos doces, como tortas. Os nômades do ar vendiam suas tortas por dinheiro - com uma peça de prata cada - e todos os lucros eram dados à caridade. [16]

Os Nômades do Ar eram um povo tranquilo que se esforçava para preservar o ambiente ao seu redor. Qualquer indústria em que eles investissem, como agricultura ou jardinagem, era sustentável e movida naturalmente, de modo a não perturbar o equilíbrio da natureza.

Devido à cultura não materialista da nação, os Nômades do Ar mal tocavam ou não sabiam sobre os ricos depósitos minerais cheios de ferro e cristais que jaziam sob suas terras. Como tal, estrangeiros como Loban ocuparam o território que outrora pertencera aos Nômades para cavar ferro. [9] [17]

Forças armadasEditar

Ao contrário da propagação da propaganda na Nação do Fogo, os Nômades do Ar não possuíam nenhuma forma de militares, pois acreditavam firmemente na paz e na não-violência.[18] Embora os Nômades do Ar não tivessem nenhuma força de combate organizada, eles ainda provaram ser oponentes formidáveis, pois o esqueleto de Gyatso foi encontrado cercado pelos restos mortais de vários inimigos de combate que ele havia derrotado quando atacado. Por serem pacifistas, os Nômades levavam vidas pacíficas e evitavam conflitos quando possível, embora estivessem dispostos a lutar quando não havia outra opção a ser tomada. [8] Aang também mencionou que o Senhor do Fogo Sozin derrotou os Nômades do Ar por emboscada. [18]

Apesar disso e de sua natureza pacifista, Tenzin declarou, depois que Avatar Korra foi gravemente ferido fisicamente e psicologicamente pelo veneno de metal da Lótus Vermelha, que a Nação do Ar restaurada adotou os caminhos nômades de seus antecessores, mas com a intenção de se tornarem portadores de paz e do equilíbrio. Grupos de Dominadores de Ar vasculharam o Reino da Terra depois que a nação caiu no caos após o assassinato da Rainha da Terra Hou-Ting pelas mãos de Zaheer em 171 DG. [10] Incubido dessa tarefa, Kai e Opal forçaram a fuga de três bandidos que estavam aterrorizando a capital do estado de Yi no Reino da Terra, em 174 DG. No entanto, a nação do ar foi espalhada muito fina para cobrir a totalidade do grande reino da Terra para efetivamente trazer ordem e equilíbrio. [19] Eles também participaram da defesa da Cidade República quando o Império da Terra a invadiu [20] e depois atuaram como guardiões do portal espiritual da Cidade República, protegendo o Mundo Espiritual da intervenção humana.[5]

TríviaEditar

  • O principal poder dos nômades do ar é a dobra de ar, característica que foi aprendida com a observação e imitação dos bisões voadores. Algumas das demais características e poderes dos nômades do ar são:
  • Usam o yin negativo.
  • Mesmo em um combate, procuram não prejudicar seus adversários.
  • Eles são mais rápidos a reagir e atacar os professores e outros controles.
  • Procuram todas as soluções possíveis para um problema.
  • Podem criar redemoinhos.
  • Têm um ótimo senso de humor.
  • Não gostam de caminhar, preferem voar.
  • Os mestres do ar são cobertos com tatuagens em seu corpo em forma de setas em honra do bisão voador.
  • As crianças são acompanhadas durante toda a sua vida por um bisão voador.
  • Podem voar com um planador (esculpida por monges) e controle aéreo.
  • Podem saltar muito alto.
  • São vegetarianos.
  • Podem atingir velocidades muito altas.
  • Devem ter "espírito" de voar.
  • Acreditam que a vantagem que você tem sobre seu inimigo é sua agilidade.
  • São muito otimistas

ReferênciasEditar

  1. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas B2
  2. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas ALD
  3. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas S
  4. "Cidade de Muros e Segredos". Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 14. Nickelodeon. (22 de setembro de 2006). Tim Hedrick (roteirista) & Lauren MacMullan (diretor).
  5. 5,0 5,1 Predefinição:Cite comic
  6. Do antigo site oficial de Avatar: A Lenda de Aang, originalmente em Nick.com (link). Em inglês; já não mais atualizado.
  7. "A Passagem da Serpente". Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 2. Episódio 12. Nickelodeon. (15 de setembro de 2006). Michael Dante DiMartino, Joshua Hamilton (roteiristas) & Ethan Spaulding (diretor).
  8. 8,0 8,1 "O Templo do Ar do Sul". Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 3. (25 de fevereiro de 2005). Nickelodeon. Michael Dante DiMartino (roteirista) & Lauren MacMullan (diretor).
  9. 9,0 9,1 Predefinição:Cite comic
  10. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas VRL
  11. "Os Atacantes do Sul". Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 16. Nickelodeon. (17 de julho 2008). Elizabeth Welch Ehasz (roteirista) & Joaquim Dos Santos (diretor).
  12. "Batalha de Zaofu". A Lenda de Korra. Temporada 2. Episódio 19. Nick.com. (7 de novembro de 2014). Tim Hedrick (roteirista) & Melchior Zwyer (diretor).
  13. The Lost Scrolls: Air, página 211 de The Lost Scrolls Collection.
  14. "O Rei de Omashu". Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 5. (18 de março de 2005). Nickelodeon. John O'Bryan (roteirista) & Anthony Lioi (diretor).
  15. "A Grande Divisão". Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 1. Episódio 11. Nickelodeon. (20 de maio de 2005). John O'Bryan (roteirista) & Giancarlo Volpe (diretor).
  16. Avatar Extras for "The Southern Air Temple" on Nicktoons Network.
  17. "Entrar no Vazio". A Lenda de Korra. Temporada 2. Episódio 12. Nick.com. (22 de agosto de 2014). Michael Dante DiMartino (roteirista) & Ian Graham (diretor).
  18. 18,0 18,1 "A Faixa de Cabeça". Avatar: A Lenda de Aang. Temporada 3. Episódio 2. Nickelodeon. (28 de setembro de 2007). John O'Bryan (roteirista) & Joaquim Dos Santos (diretor).
  19. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas AATY
  20. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas DC